domingo, agosto 10, 2008

Grêmio comete um crime ambiental em Belo Horizonte

Chamem os orgãos responsáveis pelo meio ambiente. Isso não se faz. É crime ambiental o que o Grêmio fez na noite deste sábado, 9, no Mineirão. E não foi a primeira vez que isso aconteceu. Já maltratou o papagaio, no Serra Dourada, a raposa, no Olímpico, já derrubou figueiras, em Florianópolis e, dessa vez, sem dó nem piedade massacrou o Galo (ao lado a última imagem do pobre coitado sorrindo).

Agora, sendo sério. Foi uma atuação digna de campeão. Para isso que eu acabei de escrever ser concretizado, basta a mídia do Centro do País admitir e reconhecer que o tricolor gaúcho é o favorito ao título. Mas é mais fácil cair uma chuva de canivetes do que isso acontecer ou então o Brasil deixar de ser um país de 21º mundo e virar uma potência na área economica, esportiva, tecnológica, social, etc. Melhor ainda, ser constituído somente por políticos honestos. Hahahaha!

Enfim, o Atlético-MG estava embalado depois de uma boa vitória de virada sobre o Santos, na Vila Belmiro, durante a semana. Agora, embalou lomba abaixo, depois de ouvir a sua torcida gritando "olé", enquanto o time treinado pelo tão contestado Celso Roth tocava a bola. Foi um verdadeiro passeio por Belo Horizonte. O resultado: mais uma goleada, dessa vez por 4 a 0. As atuações e os resultados obtidos pelo imortal dão a impressão de que há controvérsias quando os "especialistas" afirmam com toda a segurança de que esse Brasileirão é o mais equilibrado de todos os tempos. Discordo, plenamente. Depois de humilhar o Figueirense e o Galo, ambos fora de casa, não posso concordar com isso.

Ah! E por lembrar o Celso Roth nesse humilde texto, quero trazer um assunto à tona. É sobre os seres humanos bipolares, essas pessoas que mudam de humor a cada cinco minutos. Isso me assusta, e muito. Será o fim dos dias? Um exemplo disso ocorreu na partida entre Grêmio e Ipatinga, no Olímpico. O público foi superior a 30 mil pessoas e na hora que anunciaram o nome do treinador nos alto-falantes do estádio, ao invés da tradicional vaia, os decibéis de aplausos e gritos eufóricos superou, inclusive o de jogadores como Tcheco, sempre ovacionados com mais ênfase.

Aproveitando esse espaço, quero dar uma dica para os psicólogos que estão se queixando da baixa procura pelos seus serviços ou para os que estão se formando. O Olímpico é um grande campo de estudo e mercado de trabalho para vocês. Lá tem muita gente com transtornos bipolares. Se acham que eu não tenho razão, então esperem o Grêmio não conquistar esse título e o nome do Roth ser anunciado logo depois nos alto-falantes. Acreditem, se quiser.

Um comentário:

Esteban disse...

Hola señor Milton Nevez.
Nosotros vamos superar a brasil en olimpiadas porque somos mucho mejor que usted brazucas.
Perdón por nuestra sinceridad, más para nosotros, selección brasileña es un gran fracazo y va más una vez una gran decepción en olimpiada y usted brazucas van continuar sien triunfo en olimpaidas para nuestra felicidad.

Un saludo
esteban crustille
cordoba