sexta-feira, outubro 03, 2008

Violência não tem limite

Queria ser uma animal. Exatamente. Um animal. Um vez em uma entervista coletiva para trabalhar em uma grande empresa fui questionado se caso eu fosse um animal, qual eu gostaria de ser. Claro que não respondi dessa forma, mas quase disse: Eu sou uma animal. Um ser humano é uma animal. É um ser vivo, portanto é um animal, na minha ótica. Mas respondi que gostaria de ser um falcão. Novamente, fui questionado sobre o por que esse animal. Respondi que ele vivia protegido, pois buscava abrigo em lugares seguros e altos, buscava alimentos com agilidade, objetividade e desenvolvura, além de ter a liberdade do vôo, coisa que o animal homem só consegue fazer através de outros meios que não são os naturais.

Mas enfim, quero dizer que qualquer animal da categoria bichos, ataca quando se sente ameaçado, age por instinto e só faz o "mal", quando quer comer ou lutar por território. Mas isso é da sua natereza. Poderíamos dizer, com certeza, que são racionais. Mas qual a natureza do homem? Qual a sua racionalidade se é que ele a tem? Quando dizer que os seres humanos agem corretamente, quando temos o dom de pensar antes de agir? Eu gostaria de ser uma animal desses da categoria bichos mesmo.

As respostas para essas perguntas são facilmente encontradas se olhassemos para as arquibancadas do estádio Beira-Rio, durante o clássico Gre-Nal do último domingo, 28. Cenas que não são vistas nem na selva e mais facilmente vista em guerras. Não viu? Olhe as fotos nos jornais, as imagens na TV ou ouça as rádios para se ter uma pequena noção do que aconteceu, então.

Fui testemunha ocular do que aconteceu. Pessoas correndo para não apanhar dos policiais militares, bombas de efeito explodindo no meio da multidão, sem ao menos identificar quem é o verdadeiro culpado ou se havia crianças no meio daquilo tudo, pessoas apanhando e fugindo como se estivessem em uma verdadeira guerra. Fato é que não podemos generalizar, mas alguns baderneiros anencéfalos, marginais e deocupados para não os qualificar de outra forma, se infiltram no meio de pessoas do bem e colocam em risco a vida e a integridade física de todos que estão por perto.

O que é torcer? Por que a vontade de se agredirem, de se machucarem? Qual a satisfação que há nisso? Fico pensando se animais agiriam dessa forma. Não há resposta para isso. Qualquer tentativa de explicação ou estudo das causas desse problema seria o mesmo que justificar a ignorância desses animais do grupo dos seres humanos.

Li na Zero Hora durante esta semana terchos de e-mail enviados para os colunistas esportivos desse periódico de ambos os lados. Um acusava a torcida do Grêmio de começar a arrancar pedaços de concreto da arquibancada inferior e arremessá-los para cima. Como ela pode afirmar isso se não viu ninguém arrancando pedaço algum? Como garantir que a primeira agressão não partiu da torcida do Inter, isto é, de cima para baixo? Do outro lado, um gremista rebatia afirmando que os pedaços partiram, inicialmente, do lado colorado. Do que adianta isso agora? Se ninguém pensassem em agressão, nenhuma parte de concreto teria sido arrancada e nada disso teria começado.

Ainda lembro do Gre-Nal dos banheiros químicos. O que justifica aquela selvageria? Absolutmente, nada. Quando teremos paz? Vale lembrar que essa não foi a primeira vez que incidentes como esses aconteceram num clássico. Infelizmente, estamos rumando para os Gre-Nais de uma torcida só, pois a violência parece não ter limite.

E aí? Você ter orgulho de ser um "humano", ou prefere ser um animal. Eu fico com a águia...

Um comentário:

Esteban disse...

PARA NOSOTROS FÚTBOL BRASILEÑO ES DECADIENTE .
Hola.
Yo estoy en brasil a trabajo y tengo mucha curiodidad en saber cuál la razión que usteed brazucas hablan que su fútbol es lo mejor del mundo
Caros brazucas, usteed hablan mucho que su fútbol es lo mejor del mundo, más acá nosotros sabiemos que no es verdad.
La verdad es que su fútbol es hoy un fútbol mucho depediente de nuestros kracks para hacer su fútbol triunfar.
Los equipos de brasil tiene hoy una gran necesidad de jugadores Argentinos para hacer fútbol, de brasil triunfar en su canpeonato.
En Argentina nuestros equipos no preciza y no queren jugadores brasileños porque nuestros jugadores tiene una gran superioridad en atualidad sobre los jugadores brasileños.
Una gran verdad: Los jugadores Argentinos que acá son Débil y mediano hacen mucho Éxito en brasil. Razión la cuál si prova más una vez que su fútbol es mucho débio y mediano.
Perdón por nuestra sinceridad y portuñol.
Saludo